Licenciado em Sociologia pela Universidade de Brasília com especialização em documentarismo pela Escola Internacional de Cinema e TV em Sto. Antônio de Los Banos, Cuba. Coordenou a exposição Brasília 35 ANOS, A Cidade e o Cidadão”,1995. Estufa Fria, Lisboa. Dirigiu o documentário A POÉTICA DO CERRADO, 2005 e HETOHOKY, Karajá, 2008. Criou e organizou conteúdos audiovisuais sobre a vida de Cora Coralina para instalação informativa na Casa de Cora, Cidade de Goiás. 2009. Consultor pela UNESCO (2012 a 2016) na área de produção audiovisual no Departamento de Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Hoje é diretor executivo da Empresa Memória Digital em Brasília. É responsável por projetos de produção de filmes de micro orçamento que utilizam dispositivos móveis.

FERNANDO CAMPOS

Coordenador Geral

Licenciado em Sociologia pela Universidade de Brasília com especialização em documentarismo pela Escola Internacional de Cinema e TV em Sto. Antônio de Los Banos, Cuba. Coordenou a exposição Brasília 35 ANOS, A Cidade e o Cidadão”,1995. Estufa Fria, Lisboa. Dirigiu o documentário A POÉTICA DO CERRADO, 2005 e HETOHOKY, Karajá, 2008. Criou e organizou conteúdos audiovisuais sobre a vida de Cora Coralina para instalação informativa na Casa de Cora, Cidade de Goiás. 2009. Consultor pela UNESCO (2012 a 2016) na área de produção audiovisual no Departamento de Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Hoje é diretor executivo da Empresa Memória Digital em Brasília. É responsável por projetos de produção de filmes de micro orçamento que utilizam dispositivos móveis.

FERNANDO CAMPOS

Coordenador Geral